Desenvolvimento Sustentável – Historia indicadores Sustentabilidade

O crescimento das cidades, com suas indústrias, número de veículos estão aos poucos causando a destruição do meio ambiente. O desenvolvimento sustentável é necessário, mas o meio ambiente precisa ser respeitado. É ai onde entra o Desenvolvimento Sustentável, onde é possível obter o necessário, mas garantindo o equilíbrio ecológico.

Ao longo de décadas, de acordo com os progressos tecnológicos e com a conscientização das populações, o desenvolvimento sustentável teve seu conceito evoluído.

A Comissão para desenvolvimento sustentável das Nações Unidas aprovou em 1995 um conjunto de indicadores de desenvolvimento sustentável que servem como base para os países em desenvolvimento. Entre eles estão: pobreza, terra, perigos naturais, padrões de consumo e produção, o desenvolvimento econômico, educação, governação, os oceanos, mares e costas, ambiente, demografia, estabelecer uma parceria global econômica, água potável, escassez de água e recursos hídricos, saúde, biodiversidade

Para um desenvolvimento sustentável existem caminhos a serem seguidos para conseguir estabelecer o equilíbrio entre o desenvolvimento econômico e a manutenção do meio ambiente: reciclagem de diversos tipos de materiais: reciclagem de papel, alumínio, plástico, vidro, ferro, borracha, etc; coleta seletiva de lixo; tratamento de esgotos industriais e domésticos para que não sejam jogados em rios, lagos, córregos e mares; descarte de baterias de celulares e outros equipamentos eletrônicos em locais especializados. Estas baterias nunca devem ser jogadas em lixo comum; geração de energia através de fontes não poluentes como, por exemplo, eólica, solar e geotérmica, substituição, em supermercados e lojas, das sacolas plásticas pelas feitas de papel; uso racional (sem desperdício) de recursos da natureza como, por exemplo, a água; diminuição na utilização de combustíveis fósseis (gasolina, diesel), substituindo-os por bicombustíveis; utilização de técnicas agrícolas que não prejudiquem o solo; substituição gradual dos meios de transportes individuais (carros particulares) por coletivos (metrô); criação de sistemas urbanos (ciclovias) capazes de permitir a utilização de bicicletas como meio de transporte eficiente e seguro; incentivo ao transporte solidário (um veículo circulando com várias pessoas); combate ao desmatamento ilegal de matas e florestas; combate à ocupação irregular em regiões de mananciais; criação de áreas verdes nos grandes centros urbanos; manutenção e preservação dos ecossistemas, valorização da produção e consumo de alimentos orgânicos, implantação, nos grandes centros urbanos, da técnica do telhado verde.





Autora da matéria :

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *