Zika Vírus : Sintomas, Transmissão, Tratamento e Cura

Tudo sobre o Zika Vírus

O Zika vírus (causada pela picada do mosquito Aedes contaminado) foi isolado pela primeira vez em 1947 na floresta Zika na Uganda. Desde então, manteve-se principalmente na África, com pequenos e esporádicos surtos na Ásia. Em 2007, uma grande epidemia foi relatada na ilha de Yap (Micronésia), onde quase 75% da população foi infectada.

Em 2015, as autoridades de saúde pública do Brasil confirmaram a transmissão do Zika vírus no nordeste do país. Desde outubro de 2015, outros países e territórios das Américas têm relatado a presença do vírus.

Quais são os sintomas?

Os sintomas mais comuns da infecção pelo Zika vírus são febre leve e erupção cutânea, geralmente acompanhada por conjuntivite, dores musculares ou articulares, e mal-estar que geralmente começa 2-7 dias após a picada de um mosquito infectado.

Uma em cada quatro pessoas infectadas desenvolve os sintomas da doença. Entre aqueles que o fazem, a doença é geralmente leve e pode durar 2-7 dias. Os sintomas são semelhantes aos da dengue ou Chikungunya, que são transmitidos pelo mesmo tipo de mosquito. Complicações neurológicas e auto-imunes são raras, mas foram descritas nos surtos na Polinésia e, mais recentemente, no Brasil.

Como é transmitido o Zika vírus?

O Zika vírus precisa de um vetor (meio de transporte) para infectar as pessoas. Esse vetor é o mosquito. O vírus também foi isolado no sémen, e já foi reportado a possível transmissão sexual de pessoa para pessoa, mas não foi confirmada.

Zika também pode ser transmitida através do sangue. É recomendado transfusões a partir de doadores saudáveis.

Há pouca informação sobre a transmissão da mãe para o bebê durante a gravidez ou o parto. A transmissão perinatal tem sido relatada com outros vírus transmitidos por vetores, como a dengue e a chikungunya. Estudos estão sendo conduzidos sobre a possível transmissão de mãe para filho do vírus e seus possíveis efeitos sobre o bebê.

Qual o tratamento?

O tratamento consiste em aliviar a dor, febre, e qualquer outro sintoma que incomoda o paciente. Para evitar a desidratação, é recomendado controlar a febre, repouso e beber muita água. Não há vacina ou medicamento específico para este vírus.

Como o Zika virus é diagnosticado?

Na maioria das pessoas, o diagnóstico é baseado nos sintomas clínicos e circunstâncias epidemiológicas (tais como viagens para áreas onde o vírus está em circulação).

Exames de sangue podem ajudar a confirmar o diagnóstico. Alguns testes de PCR (virológicos) são úteis nos primeiros 3-5 dias após o aparecimento dos sintomas, enquanto que outros (os testes serológicos) detectar a presença de anticorpos, mas são úteis apenas após cinco dias.

Qual é a diferença entre Zika, dengue e chikungunya?

Todas estas doenças apresentam sintomas semelhantes, mas alguns sintomas sugerem uma doença ou outra:

Dengue geralmente apresenta febre superior e dor muscular mais grave. Deve ser dada atenção aos sinais de alerta, como sangramento.

Chikungunya apresenta febre superior e dor nas articulações mais intensa, afetando as mãos, pés, joelhos e costas. É possível fazer com que a pessoa fique impossibilitada de andar ou executar coisas simples, como abrir uma garrafa de água.

Já o Zika vírus não têm características clara, mas a maioria dos pacientes têm erupções cutâneas e alguns têm conjuntivite.

Que medidas devem ser tomadas para prevenir a infecção pelo Zika vírus?

– Evite água parada em recipientes ao ar livre (vasos de flores, garrafas e recipientes que acumulam água), de modo que eles não se tornem criadouros do mosquito.
– Fechar os reservatórios de água doméstica para que os mosquitos não possam entrar.
– Evitar a acumulação de lixo: Coloque-o em sacos plásticos fechados.
– Desbloquear drenos que possam acumular água parada.
– Use telas e redes nas janelas e portas para reduzir o contato entre mosquitos e pessoas.

Pessoas com sintomas de Zika, dengue, ou chikungunya devem visitar um centro de saúde.

Zika Vírus 1

Zika Vírus 2 Zika Vírus 3 Zika Vírus 4





Autora da matéria :

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *