Glúten – Intolerância e Alergia

Glúten não é uma proteína em si, mas um composto de proteínas, composta de proteínas e da glutenina gliadina (do trigo), secalin (no centeio) e hordein (na cevada), que são proteínas elásticas da família de proteínas conhecidas como prolaminas.

Glúten existe no grãos de trigo, cevada, centeio, e espelta. Glúten proporciona uma liga eslástica que gruda outros ingredientes ao trigo proporcionando uma textura crocante.

Nos últimos anos alguns estudos sugerem que nosso corpo não pode tolerar e digerir o glúten. É interessante notar que algumas pessoas acreditam que isso se aplica a todos, e não apenas as pessoas que sofrem de algum grau de sensibilidade ao glúten.

Um ponto chave a se considerar é que o glúten está presente na composição de mais alimentos do que você possa imaginar. Se você acredita que a remoção do glúten de sua dieta envolve não comer pão e produtos assados??, saiba que você está enganado. O glúten é frequentemente usado em molhos, aromatizantes, realçadores de sabor e até mesmo em vitaminas e suplementos.

Primeiro você deve separar intolerância ao glúten em três categorias distintas: doença celíaca e não-celíaca, sensibilidade ao glúten e uma alergia ao trigo (tecnicamente, a alergia ao trigo não é uma intolerância ao glúten).

Pesquisas recentes e estatísticas da intolerância ao glúten atuais sugerem que 5% a 10% da população pode sofrer de algum tipo de intolerância ao glúten, e ainda assim a grande maioria destes indivíduos ainda não foram corretamente diagnosticados.

A alergia ao trigo se manifesta em uma ampla variedade de maneiras que podem ser diferentes para pessoas diferentes. Algumas pessoas experimentam urticária, enquanto outros podem sentir dor de estômago. A alergia ao trigo, ao contrário de uma intolerância ao glúten, é considerada uma hipersensibilidade do tipo 1.

Existem mais de 250 sintomas ligados a intolerância ao glúten, eles podem variar de pessoa para pessoa e alguns deles são:  distensão abdominal, dor abdominal e cólicas, diarréia e constipação, anemia, artrite, distúrbio de atenção, autismo, inchaço, perda de densidade óssea, éficit de crescimento, ansiedade, depressão e irritabilidade, erupção cutâne, diabetes, fadiga, perda de cabelo, dor de cabeça, enxaqueca,  hipoglicemia, infertilidade, intolerância à lactose, náusea, etc.

 

 

 





Autora da matéria :

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *